Campina Grande: dicas de viagem



Se você está planejando visitar Campina Grande, aqui vão algumas dicas, com base no nosso planejamento e experiência.

Nós fomos para Campina Grande num feriadão, ficamos 4 dias, às vésperas de São João, e foi ótimo para conhecer a cidade no clima das festividades que a tornaram famosa. Já adianto: 4 dias foram suficientes para conhecer e aproveitar. Achei na medida para ficar na cidade.

Como chegar ?

Campina Grande tem aeroporto, com voos regulares. O aeroporto fica a 6 km do centro da cidade, ou seja, melhor impossível. Pesquise a grade das companhias aéreas para ver a melhor opção de voo.
Fonte: Portal T5

Se você precisar de um plano B, fique ligado que Campina Grande fica a 126 km de João Pessoa e a 188 km de Recife. É claro que há mais voos para estas capitais, que podem ser mais convenientes para sua chegada. De João Pessoa para lá dá pouco quase duas horas de carro e de Recife, três horas.

No nosso caso, por incrível que pareça, nós perdemos o nosso voo, que ia direto do Rio de Janeiro para Campina Grande. E mais: sendo um período tão disputado, não tinha disponibilidade em nenhum voo direto até o meio da semana seguinte! Quase bateu um desespero quando a atendente disse que não tinha mais voo disponível! A saída foi embarcar num voo para Recife e fazer o transfer de carro. Foi cansativo, mas pelo menos, conseguimos ir. 😉

Onde ficar?

Campina Grande é cidade turística, e como tal, tem diversas opções de hoteis. Basta pesquisar nos sites de busca de hoteis (aqui no blog tem o link do Booking).

Nós ficamos no Garden Hotel Campina Grande, que é um resort bem antigo na região, mas está bem conservado. Como a maioria dos resorts, não fica no centro da cidade, e levava cerca de 15 min de carro até o Parque do Povo, onde acontece a festa.

 O hotel estava todo decorado para São João, como toda a cidade, com vários cenários para fotos.


O ponto alto era o café da manhã, num restaurante amplo, com muita comida típica: tapioca, pamonha, milho, batata doce, canjica, queijo coalho, melaço, ... huuummm... Confesso que esperava ansiosamente para o café. 😊

Nós não aproveitamos a estrutura do hotel, porque tínhamos programação para dia e noite, mas o hotel tem uma estrutura de lazer também. Enfim, o hotel atendeu bem às nossas expectativas. 

Garden Hotel Campina Grande Resort & Centro de Convenções
R. Eng. José Bezerra, 400 - Mirante, Campina Grande

Como circular pela cidade?

Nós não quisemos alugar carro, para podermos ficar mais tranquilos na cidade, livres de GPS e pedidos de informação, e até poder experimentar um quentão... rs No hotel, obtivemos a indicação de uma cooperativa de taxis, e pedimos um carro grande, para 7 pessoas (estávamos em 6). Assim conhecemos o "Seu" Reginaldo, taxista boa praça, falante que só, bom contador de histórias, que se tornou nosso guia na cidade. Pronto!

Sinceramente, circular pela cidade com o Seu Reginaldo deu um toque especial à viagem. Já parecia amigo da família. Recomendamos. 


Alugar um carro é uma opção para Campina Grande, mas com o movimento da cidade com a festa, percebemos que as ruas ficavam congestionadas e não vimos muitos locais de estacionamento nos arredores do Parque do Povo. Sugiro o táxi mesmo.

Onde comer ?

Eu confesso: sou muito chata para comer. Não é tudo que eu como bem, na verdade, boa mesmo, pra valer, só a comidinha da minha mãe... Mas quem não gosta de uma comida gostosa, né ?

Em Campina Grande, comemos em muitos lugares, mas muitos deles eram nos locais das festas, como no Parque do Povo, ou em Galante, ou no Sítio da Vila São João, ou seja, locais que não são permanentes. Mas teve um restaurante da cidade que realmente agradou e tinha fila de espera. 


Tábua de Carne é um restaurante famoso na cidade e realmente valeu conhecer. O atendimento foi bom (certamente, teria sido melhor se não estivesse tão cheio) e a comida estava ótima.

Demorou bastante para conseguirmos uma mesa. Também, pudera, era domingo, véspera de São João, e dia do show mais esperado da festa de Campina Grande, o da cantora Elba Ramalho, campinense famosa. Inclusive, a cantora estava com a família almoçando no restaurante, uma mesa atrás da nossa. (Posso dizer que almocei com Elba! Hahaha)

Então, ficam aqui algumas dicas para a sua visita a Campina Grande. Se quiser conhecer sobre pontos turísticos, leia este post aqui. Se quiser saber mais sobre as festividades do maior São João do Mundo, então, leia este outro aqui.

Ps.: Este post foi baseado exclusivamente em nossa experiência. Não está sendo patrocinado, nem tampouco recebemos convite ou qualquer tipo de concessão para conhecer ou mesmo escrever sobre os locais e profissionais aqui mencionados. 

Bj bj! 

Se você está planejando visitar Campina Grande, aqui vão algumas dicas, com base no nosso planejamento e experiência. Nós fomos par...

Campina Grande - PB

Acho que todo brasileiro que gosta de festa junina já ouviu falar de Campina Grande, a terra do "maior São João do mundo"! Quem vai no mês de junho à cidade, que fica no estado da Paraíba, tem um mês de inteirinho de festividades.

Mas nem só de festa junina vive Campina Grande! Então, vamos conhecer um pouquinho dos pontos turísticos da cidade ?

Museu de Arte Popular da Paraíba
R. Dr. Severino Cruz, s/n - Centro, Campina Grande


Também conhecido como Museu dos Três Pandeiros, devido à arquitetura do prédio com formas arredondadas, este museu, que fica localizado às margens do Açude Velho, foi projetado por ninguém menos que Oscar Niemayer.


O Museu, que é parte da Universidade Federal da Paraíba, foi inaugurado em 2012.

O acervo tem muitos artigos de artistas nacionais, com ênfase na cultura nordestina, e artesanatos diversos, inclusive para comercialização.


No ano passado, o museu estava com uma exposição audiovisual em homenagem ao centenário de Jackson do Pandeiro, com um pouco da história e muitos artigos do artista, como rascunhos de músicas, vídeos, etc. Bela homenagem ao famoso "cumpadre da Sebastiana".
   

Açude Velho
R. Dr. Severino Cruz, s/n - Centro, Campina Grande

O Açude Velho foi o primeiro açude de Campina Grande, por isso é chamado de "velho". Foi construído há quase 2 séculos (começou a ser constuído em 1824) por causa de uma grande seca no Nordeste.

O açude foi, por mais de um século, a fonte de abastecimento de água da cidade. Atualmente, com o abastecimento encanado, o açude perdeu seu papel e se tornou patrimônio histórico da cidade.
A gente não podia deixar de registrar uma foto neste cartão postal!

Monumento à Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga


Às margens do Açude Velho, encontramos este monumento em homenagem aos dois grandes artistas, o rei do baião, Luiz Gonzaga, e o rei do ritmo, Jackson do Pandeiro. Batizado pelo artista de "Farra da Bodega", o local merece uma parada.


Detalhe: os artistas estão em tamanho natural.


Claro que eu ia me juntar a essa "farra"!

Monumento Tropeiros
(Margens do Açude Velho)

Também localizado às margens do Açude Velho, o Monumento dos Tropeiros foi construído para celebrar os 150 anos da emancipação da cidade de Campina Grande.


O projeto representa uma cápsula, de onde saem os tropeiros, transmitindo a ideia do desbravamento da cidade. Dentro da cápsula, é um museu com documentos históricos da cidade.

Vila do Artesão
Av. Prof. Almeida Barreto, s/n - São José, Campina Grande


A vila do artesão é um conjunto de chalés que reúne cerca de 300 artesões da cidade, apresentando trabalhos variados com couro, bordados, pintura, tapeçaria, destilaria, culinária e diversos outros artigos típicos da cultura nordestina. É o lugar certo para comprar aquela lembrancinha para sua casa ou de presente.

São 77 chalés organizados em 6 ruas, que recebem nomes de santos: Santo Antonio, São João, São José, etc. Também tem uma praça de alimentação, com restaurantes e lanchonetes, no centro da vila.

Dentro da área também tem construções que merecem uma visita, como uma igreja, no lado direito, ou essa casinha de pau-a-pique, à base de barro molhado, com direito àquela capelinha ou altarzinho doméstico e tudo.



Que tal aproveitar para tomar um dindim (aqui não é sacolé, viu?)?


A Vila do Artesão é um point para dia ou noite. Nos finais de semana, o local sempre fica animado, com muito forró, alegrando turistas e campinenses.



E assim, demos uma volta nos principais pontos turísticos da cidade.

Quer saber como é o São João em Campina Grande ? Tem um post só sobre isso aqui!

Bj bj!

Acho que todo brasileiro que gosta de festa junina já ouviu falar de Campina Grande, a terra do "maior São João do mundo"! Quem v...

Campina Grande: o maior São João do Mundo

Todo ano eu ficava vidrada assistindo aos flashes nos telejornais sobre o tradicional São João em Campina Grande, na Paraíba, conhecido como "o maior São João do Mundo".

Finalmente, ano passado eu tive a alegria de conhecer essa grande festa da cultura nordestina com minha família e vou dividir aqui um pouquinho do que vi, mas já posso adiantar: a festa em Campina Grande não se resume só à festa que passa na TV, que acontece no famoso Parque do Povo. A cidade toda festeja São João e respira a festa, tendo diversos eventos para a gente viver o São João dia e noite! Reserva a barriga para se empanturrar de canjica (lá se chama mungunzá) e outras coisas gostosas, e a energia para o arrasta-pé, minha gente! 😀

O Parque do Povo - "O maior São João do Mundo"
(R. Sebastião Donato, S/N - Centro, Campina Grande)



A festa de São João de Campina Grande acontece numa arena de exposições chamada Parque do Povo, que recebe os principais eventos da cidade. A festa dura um mês inteirinho!


O local é cercado de barraquinhas, restaurantes e quiosques e se torna um grande pavilhão de exposição, música e gastronomia.

Na estrutura tem um palco principal, onde acontecem shows de cantores famosos (eu estava lá no dia de Elba Ramalho, que é uma campinense ilustre!), e outros palcos secundários espalhados pelo parque, com grupos de forró pé de serra e sertanejo universitário, para todos os gostos.

Dizem que a festa reúne cerca de 100 mil pessoas por noite e eu não duvido, não. Era gente que não acabava mais! Mas o ambiente era tranquilo, clima de festa familiar.

Nesta estrutura em formato de pirâmide, a única área coberta do local e com arquibancadas nas laterais, acontece o "Festival Campinense de Quadrilhas". Nem pense naqueles vestidinhos de chita que a gente estava acostumada a usar nos arraiás por aí afora. Lá o negócio é sério. Só super produção. Para nós, cariocas, seria como a "escola de samba" do São João. rs


Perto do palco principal, o pessoal ficava mais amontoado, como acontece em shows, mas no restante da estrutura era possível circular tranquilamente.

Para quem é jovem e ou curte a badalação até o final, pode chegar mais tarde, mas se você está a fim de pegar uma mesa num restaurante, ficar bebericando e comendo um tira-gosto, tem que chegar cedo, por volta das 19h. A festa vai lotando e dia de show tem fila circulando o quarteirão para entrar.

Ah! Por falar nisso, tem controle de entrada, com revista, e para entrar com crianças, os pais precisam apresentar documento que comprove a filiação.


Vila Sítio São João
(Av. Mal. Floriano Peixoto, 2701 - Centenário, Campina Grande)

A Vila Sítio São João é um sítio totalmente tematizado, como uma cidade cenográfica, com restaurantes, comidas típicas e muito forró. Ambiente amplo, onde as crianças podem brincar e conhecer um pouquinho da cultura nordestina.

Uma senhora estava chorando dentro desta "mercearia cenográfica", dizendo que era exatamente como o comércio do pai dela. Foi comovente!

Minha mãe também mostrou a habilidade no processo de produção artesanal de farinha... Ela também viveu isso na infância.

Olha essa igrejinha... Tem como não entrar e fazer uma oração para São João (padroeiro da igreja) ?


Aqui a gente encontra turistas e também o pessoal da terrinha, aproveitando a tarde toda de forró. Meus pais não resistiram...


A visita à Vila de São João é uma atração para o dia. Começa meio-dia e encerra no início da noite (não compete com a festa no Parque do Povo). Você compra os ingressos na bilheteria no local.

Trem do Forró
(Estação Velha de Campina Grande)

Imagina participar de uma viagem de trem só dançando forró! Isto você encontra no tradicional trem do forró, que liga o centro de Campina Grande ao Distrito de Galante. 

Concentração na estação

O trem (composição com 7 vagões) tem capacidade para cerca de 1000 passageiros e parte da "estação velha" de Campina Grande. 

Cheguem cedo! Quem embarca tarde, vai em pé... como nós! 

 

São 12 km, percorridos numa viagem de 1h30- 2 horas, em que cada vagão é animado por um trio de forró diferente. Vai todo mundo dançando e pulando, é quase uma micareta dentro do trem.

O que a gente não podia imaginar é que o trem iria descarrilar!!! Foi só um susto, ninguém se machucou (graças a Deus), e seguimos para Galante de ônibus. Mas esta história merece um post à parte...


Chegando em Galante (no nosso caso, de ônibus), antes de voltar, você pode aproveitar a festa na praça da cidade, com barraquinhas, quadrilhas, restaurantes e mais forró!


A linha ferroviária que liga Campina Grande a Galante está desativada e só funciona para este passeio turístico. Por isso, o trem que vai é o mesmo que volta.

O ideal é comprar o ingresso antecipado. Você compra na bilheteria da estação ou os próprios hoteis indicam agências e representantes. Você recebe a pulseira e o "abadá" para customizar, se quiser. 

"Guerreiros"

Dica do coração: só vá se você gostar muito de forró... Se não, a primeira meia hora será até divertida, mas depois você não irá aguentar mais 1h30 para ir e outras 2 horas para voltar, ouvindo forró nas alturas e com pessoas suadas, esbarrando para circular no trem cheio (tem gente que quer conhecer um pouquinho de cada vagão) e sem ar condicionado... Sem contar o cheiro do banheiro químico dentro do vagão... 😟

Estação do Turista
(Estação Velha de Campina Grande)


Fica justamente no local onde acontece o embarque e desembarque do Trem do Forró, na Estação Velha, e é mais uma opção para comidas típicas e curtir apresentações de trios de forró e de quadrilhas. 


O cenário é charmosinho e tem um palco onde grupos se apresentam, com muitas mesas espalhadas. Mas como era dia quente e chegamos cedo, o sol ainda estava castigando algumas áreas. 


Paramos lá na volta do trem do forró (que acabou sendo de ônibus). Ambiente tranquilo, arejado, forrozinho "social"... É um bom "esquenta" para o Parque do Povo.


A Estação do Turista fica aberta todos os dias, de 17h às 23h, tem entrada gratuita.




Ônibus do Forró
(Rua Doutor Severino Ribeiro Cruz, 625 - Sala 01 - Centro, Campina Grande)

O nome já diz tudo: é um ônibus que percorre a cidade embalado ao som de muito forró! Mas o mais legal é que ele passa pelos pontos turísticos e vai apresentando os locais em forma de cordel! 


O ponto de partida é na porta da agência responsável pelo passeio (Autocar Turismo), que fica em frente ao Museu de Arte Popular da Paraíba (o museu dos 3 pandeiros), no Açude.

Você vai curtir uma viagem bacana pelas ruas da cidade, ao som de forró pé-de-serra e repente. Nós adoramos!




Em geral, são dois passeios por dia, um de manhã e outro à tarde, de terça a domingo. Consulte a programação quando for visitar, para reservar com antecedência. 


Recomendo muito esta atração. É um city tour diferente, animado, interativo e com uma música ótima que vai contagiando a todos por onde o ônibus passa. É muito legal ver a reação das pessoas participando nas ruas, até dando uma dançadinha quando o ônibus para. 

Sem contar que todo mundo tem assento neste transporte e é fresquinho... rs


E então, se animou ?
Então programe logo a sua visita ao Maior São João do Mundo!!!

Bj bj!


Todo ano eu ficava vidrada assistindo aos flashes nos telejornais sobre o tradicional São João em Campina Grande, na Paraíba, conhecido co...