Alegria de viver

Se tem algo que me faz sorrir é lembrar da carinha dos meus filhos, ainda bebês, quando acordavam. Sempre tinham um sorriso lindo estampado e um brilho no olhar que traduzia o que eu chamo de "carinha de felicidade". Eu desejava que aquelas carinhas fossem de alegria em me ver, mas no fundo sabia que era a manifestação genuína das crianças da alegria de viver...

Até hoje, 11 anos depois, meus filhos acordam e já pulam da cama. Não ficam se revirando na cama, lutando contra o fato de ter que levantar. Por mais que digam que o dia na escola é chato... :)

Acredito que todos nós já fomos assim um dia. Infelizmente, na virada de chave para a vida adulta, muitos perdem a alegria de simplesmente viver. Talvez porque superestimam a vida, desejam muito e valorizam pouco o que têm. Às vezes, isso é temporário, é só uma escorregada. A gente reclama da vida, mas em seguida, reposiciona a escala de valores e assume de novo uma postura positiva. Outras vezes, a gente demora um pouco mais para enxergar e é a vida que ensina.

Quando os problemas reais da vida nos atropelam, a gente olha para trás e percebe que desperdiçou pedaços da vida com as preocupações erradas. Que desperdiçou momentos felizes com discussões sem importância e perdeu noites de sono por "problemas" que de fato não são.

Ficar reclamando sobre como foi "injustiçado" no trabalho não tem a menor relevância quando você está com o filho internado com uma doença que os médicos não conseguem diagnosticar. Se aborrecer com o marido porque não resolveu um problema doméstico é um motivo insignificante quando a gente recebe a notícia de um câncer na família. Reclamar que o chefe é autoritário e o trabalho, estressante, é uma bobagem sem tamanho quando na sua família tem gente sem emprego. Chegar impaciente porque pegou um engarrafamento enorme é ridículo quando você estava no ar condicionado, ouvindo sua música preferida no carro, enquanto a pessoa ao lado estava no BRT lotado.

A gente precisa aprender a dar o peso certo às coisas. Não se permita acordar já pensando em que horas vai poder voltar para a cama no final do dia. Lute contra a vontade de não levantar, mesmo que por desânimo ou depressão. Precisamos recuperar a felicidade genuína, reaprender a pular da cama para o novo dia e manifestar a alegria de viver nas pequenas coisas.

A vida é uma estrada cheia de paisagens; cabe a nós decidir dormir na viagem ou apreciar a vista e escolher onde parar. A gente não pode se contentar com uma vida que se percorra por atalhos.

O que está esperando ? A estrada da vida está lá fora. Saia da cama e aproveite o caminho!

Bj bj!


Kinha
Kinha

A bagagem de uma mulher, esposa, mãe, executiva e viajante, com um pouco de tudo e muito de nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esse espaço é seu... Deixe seu comentário e vamos conversar!