Despressurizando


Toda vez que a gente viaja, assiste aquele filminho ou instrução dos comissários de bordo, antes da decolagem, sobre a segurança de voo, indicando que, em caso de despressurização, máscaras cairão sobre as nossas cabeças, e que devemos primeiro colocá-las em nós mesmos, para depois colocar nas crianças. Primeiro em si, depois, nos outros.

Parece assustador pensar numa situação como essa, ainda mais quando pensamos em nossos filhos, mas tem todo um racional técnico para essa orientação. Se você tem a missão de salvá-los, você tem que ter suas plenas condições, ou não conseguirá.

Desejo que ninguém precise passar por isso nas aeronaves, mas fiquei pensando sobre isso em relação à nossa própria vida. Pensar primeiro em si, depois, nos outros. Parece uma visão egoísta ? Depende...

Quantas vezes nós nos obrigamos a fazer coisas que não queremos, por mera formalidade, para agradar alguém, para ser aceito, para não acharem que a gente é antissocial, para não dizerem que ficamos metidos, ... Enfim, diversos motivos, mas que podem ser resumidos num só: “medo do que vão pensar de nós”.

E assim, a gente entra num círculo vicioso de tentar agradar a todo mundo, dizer sim para todos, esquecendo de nós mesmos.

Ninguém sabe quantas horas na semana você trabalhou, ninguém sabe quantos relatórios e apresentações levou para casa para concluir no final de semana, ninguém sabe quantas noites mal dormidas você teve, seja por não ter horas suficientes para dar conta de tudo ou pela insônia decorrente do estresse... 

Ninguém sabe que seus filhos estão em período de provas escolares e que você chega tão cansada em casa que mal consegue perguntar se eles estudaram, que dirá avaliar se a lição de casa está correta... Ninguém sabe que você se entristece toda vez que percebe que eles estão crescendo e você chega em casa tão esgotada que não tem disposição para brincar, enquanto ainda querem... 

Ninguém sabe o quanto você desejou se jogar na cama por algumas horinhas a mais no final de semana, só mais umas horinhas... 

Ninguém te perguntou se está tudo bem com você... E também ninguém quer saber.

Pensei muito nisso nas últimas semanas, e acho que chegou a hora de me colocar em primeiro lugar. O que eu fizer nunca será suficiente para ninguém, então que seja para mim mesma. Se eu esgotar toda a minha energia, me consumindo com coisas que não me acrescentam, a prejudicada serei eu. 

Preciso “despressurizar”, e para isso, vou colocar a máscara primeiro. Preciso primeiro cuidar de mim, para conseguir oferecer aos outros. Em época de tempo escasso, que eu consiga reservar um pouco para mim, para poder ser plena com aqueles que amo. Vou dizer mais “não” de agora em diante, para dizer mais “sim” para mim e para minha família.

Pensem o que quiserem, digam o que acharem que devem. Só lembrem de dizer também: ela está cuidando do essencial, que ninguém poderá fazer por ela. 

Bj bj!
Kinha
Kinha

A bagagem de uma mulher, esposa, mãe, executiva e viajante, com um pouco de tudo e muito de nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esse espaço é seu... Deixe seu comentário e vamos conversar!