Dia da família

Dizem que o peru morre de véspera, que só chega no Natal mesmo! Passo o ano todo e não vejo um peru no mercado, mas quando entra dezembro, tem peru a rodo.

Para mudar a tradição de comer peru apenas uma vez por ano, esse ano eu resolvi fazer uma ceia antecipada de Natal, um "Open Christmas". E a novidade é que eu iria para a cozinha! Na correria que a gente vive, meu marido compreende bem que cozinhar no fim de semana é um desperdício do nosso tempo em família. Mas dessa vez eu queria mesmo me dedicar a preparar um almoço especial. Não pela refeição em si, mas pelo simbolismo. Queria fazer algo especial àqueles que me são caros.

Coincidentemente, descobri que a data combinada era justamente o Dia da Família (nem sabia que existia).

Pedi ao meu marido pra comprar o peru e ele me perguntou de quantos quilos (!). Como eu não tinha a menor noção do peso de um peru, pedi que ele trouxesse o maior que tivesse (tamanho família!). Pra minha surpresa, ele trouxe um peru de mais de 12kg ! Eu nem sabia que existia um peru tão grande assim! E pra assar ? Pesquisa no Google, reengenharia no forno pra caber e muita torcida, afinal, tinha apostado todas as fichas nesse cardápio. Ou o peru saía, ou tinha que buscar um frango de padaria.

Depois de 6 horas no forno, enfim, o peru ficou pronto. E gostoso! Não sei se os elogios foram pra servir de incentivo pra eu fazer mais vezes ou se eram a fome falando!

Naquele almoço de domingo, com a família reunida, eu me senti num comercial de margarina. Enxerguei claramente que a felicidade é feita de pequenos grandes momentos, como aquele.

Uma semana depois, mexendo no caderno do meu filho, que acabou de encerrar o primeiro ano, encontrei a ilustração ao lado, que dizia:

"Querido diário hoje no dia da família teve um almoço especial de toda a família e teve um peru de 12 'kl' e não sobrou muita coisa..." 

Para ele aquele dia também foi especial ! Existe realização maior para um coração de mãe ?

Agradeço a Deus pela benção de ter minha família ao meu lado, a família onde eu nasci, a família que chegou e a família que meu marido e eu construímos. Família é um projeto de Deus. É ela que nos ampara nos momentos de angústia, que nos impulsiona para conquistar o mundo, que enxerga a tristeza por trás do nosso sorriso, que tranquiliza nosso coração pelo simples fato de estar junto, e que acima de tudo nos aceita e nos ama do jeito que somos. 

Grande ou pequena, de sangue ou de coração, não importa, pois "a verdadeira família é aquela unida pelo espírito", como disse Luiz Gasparetto. 

Feliz aquele que tem família, mas mais feliz aquele que reconhece o valor da família que tem. Eu tenho uma família valiosa. Graças a Deus.

Kinha
Kinha

A bagagem de uma mulher, esposa, mãe, executiva e viajante, com um pouco de tudo e muito de nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esse espaço é seu... Deixe seu comentário e vamos conversar!