Placebos da vida

O livro "Pequenas grandes coisas", de Albert Figueras, na contracapa questiona ao leitor quantas vezes, para "desestressar", saiu com o cachorro para um passeio ou chegou em casa mal humorado e uma música lhe fez se sentir melhor. Momentos simples que nos fazem sentir melhor. É com essa a tônica que o livro busca alertar que para ser feliz a gente só precisa tirar proveito de pequenas coisas, que se tornam grandes. Gostei de cara! Aliás, de capa!

O autor começa desmistificando a crença no "felizes para sempre", defendendo que a felicidade é um bem-estar limitado no tempo, efêmero. Isso porque o próprio cérebro deixa de dar atenção a um estímulo prolongado. É a oscilação de emoções entre os momentos que nos sentimos bem e os que não nos sentimos tão bem que marca o momento feliz. Assim, a felicidade como estado permanente não existe, mas sim momentos de bem-estar, que podem escapar se não estivermos atentos ao presente. É um balde de água fria para a nossa visão romântica da felicidade, mas por outro lado, nos reforça que cada momento é uma oportunidade de ser feliz.

Aí entram os placebos da vida, que são ações ou situações que contribuem para aumentar o bem-estar e reduzir o estresse, potencializando os momentos positivos e minimizando os efeitos dos momentos negativos da vida. O autor relata diversas pesquisas científicas que embasam o efeito placebo na medicina e ilustra diversos ensaios para defender que o placebo também se aplica na psicologia. 

O placebo pode ser a sua música preferida, aquela que exerce um efeito relaxante e transforma seu estado de espírito. O placebo pode ser a religião, a atividade coletiva. O placebo pode ser um contato físico, um abraço, uma massagem. Pode ser um cheiro, que pode despertar lembranças de momentos e pessoas. Pode ser uma atividade física, como caminhar, correr, pedalar. Ou simplesmente dar uma boa gargalhada. Daquelas de chorar. O placebo pode ser alguém. Pode ser qualquer coisa que contribua para o seu bem-estar, para viver melhor. 

A felicidade é conquistada quando se desfruta dos placebos da vida. Não existe receita. Cada pessoa precisa identificar os seus próprios placebos, as suas pílulas para a felicidade, que estão à sua volta, em casa, no trabalho, na rua. Basta prestar atenção. Quem nunca sorriu ao ver uma criança brincando ? Quem nunca aumentou o som do rádio  ao ouvir a sua música preferida tocar e esqueceu que estava preso no engarrafamento ? Quem nunca esqueceu todos os problemas dentro de um abraço ?

Descobrir os placebos da sua vida, as pequenas coisas que representam muito para você, e fazer uso delas, é a sua receita para viver feliz.

 


  
Kinha
Kinha

A bagagem de uma mulher, esposa, mãe, executiva e viajante, com um pouco de tudo e muito de nada.

2 comentários:

  1. Que texto maravilhoso...ler isto foi uma pílula de felicidade.beijo pra vcs!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!!! Ler o seu comentário foi uma pra mim também!!! :-)
      Bjo grande!!!

      Excluir

Esse espaço é seu... Deixe seu comentário e vamos conversar!