Dentro de um abraço


Esse titulo não é uma mera coincidência. É realmente uma referência ao texto de Martha Medeiros, maravilhosa autora que tanto me inspira. Com esse texto ela começa o livro "Feliz por nada". Com a provocação da autora, parei para pensar na importância de um abraço.
"Dentro de um abraço" é onde as coisas são ditas sem palavras. É onde o mundo pode estar desmoronando ao seu redor, mas você está segura. É onde você recarrega as baterias para enfrentar qualquer desafio da vida.
Um simples abraço. Parece tão pouco... Mas tem tanto a oferecer que pode te preencher por uma vida inteira.
Um abraço faz parar o tempo. Como dizia Renato Russo: "Então me abraça forte e diz mais uma vez que já estamos distante de tudo. Temos nosso próprio tempo..." Ok, ele não falou em parar o tempo, aliás, outro poeta também disse que "o tempo não pára", mas no abraço, parece congelar ou entrar em slow motion. Nao há outra urgência. A contagem do tempo é diferente. Sem pressa. Sem pressão.
Um abraço faz você voltar no tempo. Sim. Por mais que o tempo passe, basta um abraço para voce reviver a intensidade de um sentimento adormecido. Por isso, muitas vezes as pessoas fogem da real entrega de um abraço. Medo de mexer com o que está quieto, compulsoriamente hibernado.
Um abraço acalma. Basta um abraço para você esquecer a correria do dia, os problemas não resolvidos, os sapos engolidos, as culpas... Ali, tudo se transforma. Tudo perde a importância. Ou ganha a importância que deve ter, em que a única coisa que importa é estar ali, ouvindo a batida de um coração que sabe como nenhum outro acelerar o seu e acalmar, ao mesmo tempo.
Um abraço faz você viajar. Faz você decolar sem asas e com os pés no chão. E depois da primeira vez é como que você tivesse um passaporte carimbado para repetir essa viagem, sem limites e sem fronteiras, bastando ter como bilhete o seu pensamento. E quando menos espera, muitas vezes sem querer, você embarca e seu pensamento te leva àquele momento, ao reencontro, de novo, de novo, de novo... Essa viagem renova a sua esperança. Esperança de que pode haver um final feliz no portão de desembarque, e que quando esse momento chegar, você vai retornar para o único lugar onde gostaria de estar. Naquele abraço. Que foi feito sob medida para você.
Kinha
Kinha

A bagagem de uma mulher, esposa, mãe, executiva e viajante, com um pouco de tudo e muito de nada.

3 comentários:

  1. Em Poema, Cazuza, tb fala sobre o abraço, a partir da perspectiva da proteção, da segurana.


    Eu hoje tive um pesadelo
    E levantei atento, a tempo
    Eu acordei com medo
    E procurei no escuro
    Alguém com o seu carinho
    E lembrei de um tempo

    Porque o passado me traz uma lembrança
    Do tempo que eu era criança
    E o medo era motivo de choro
    Desculpa pra um abraço ou um consolo

    Hoje eu acordei com medo
    Mas não chorei, nem reclamei abrigo
    Do escuro, eu via o infinito
    Sem presente, passado ou futuro
    Senti um abraço forte, já não era medo
    Era uma coisa sua que ficou em mim

    De repente, a gente vê que perdeu
    Ou está perdendo alguma coisa
    Morna e ingênua que vai ficando no caminho
    Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
    Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Alexandre,
      Muito lindo esse poema! Não o conhecia... Obrigada por compartilhar... Vai pra minha seleção dos preferidos!
      Beijos!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Esse espaço é seu... Deixe seu comentário e vamos conversar!